O odor nas axilas e nos pés é algo natural do corpo, mas quando ele se torna excessivo e muito forte, pode ser um sinal de algo mais grave. Nesses casos, ele geralmente acontece pela presença de bactérias ou fungos nessas áreas, que se manifestam nesses ambientes ideais: quente, escuro e úmido, gerando o mau cheiro. Nos pés, por exemplo, o mau cheiro pode estar acompanhado de maceração (aspecto esbranquiçado) ou descamação da pele.

 

As glândulas sudoríparas são responsáveis pela produção do suor. Elas ficam localizadas em todo o corpo e atuam de modo a deixar o organismo dentro de uma temperatura regular e constante, mantendo-o em ordem e com os níveis de calor controlados.

 

A bromidrose pode surgir por vários motivos, como pela ação dos micróbios, alcoolismo, ingestão de alguns alimentos específicos (alho, pimentas e cebola), diabetes, determinados antibióticos e alguns hormônios e traz à região afetada suas características desagradáveis e peculiares.

 

Essa condição costuma gerar profundo incômodo em seus portadores, pois o cheiro costuma ser tão forte que mesmo com o uso de antitranspirantes e perfumes não há melhora significativa ou alívio da situação.

 

Assim, faz com que eles se sintam desconfortáveis em inúmeras ocasiões e evitem, ao máximo, se expor ao calor ou a altas temperaturas no geral, para que assim as chances de mau cheiro se alastrar e ser perceptível aos demais sejam reduzidas.

 

Cuidados diários

Existem alguns cuidados e medidas simples que têm potencial de minimizar os sintomas e males da bromidrose, trazendo mais tranquilidade e normalidade à vida de quem possui essa condição. Tratam-se de ações que podem ser feitas diariamente, e seus efeitos são mais concisos no médio prazo. São elas:

 

  • Tomar banho com sabonete antisséptico.
  • Depois de terminar o banho, secar bem a pele. Algo que pode ser feito para ser mais efetivo é usar o secador de cabelo, mesmo, em temperatura morna, para eliminar os resquícios de umidade das axilas e entre os dedos dos pés.
  • Não utilizar roupas feitas com materiais sintéticos, como náilon ou poliéster. Opte por tecidos de fibras naturais, como algodão, que permitem que a pele respire melhor (o mesmo se aplica para sutiãs e meias).
  • Lavar as roupas com produtos que ajudem a eliminar os odores (existem produtos para essa finalidade específica. Normalmente encontram-se em supermercados junto aos sabões em pó e amaciantes).
  • Utilizar calçados abertos, quando possível, reduzindo a probabilidade de ter umidade nos pés. Quando usar calçados fechados, ao chegar em casa, retire-os e deixe em um lugar arejado, ao sol. Se possível, tenha mais de um par de calçados para revezar.
  • Realizar, se possível, uma manutenção da higiene na região que está com o mau cheiro forte. Pode ser no meio da tarde, lavando somente as axilas ou os pés com um sabonete antisséptico.
  • Evitar o consumo excessivo de álcool e de comidas muito condimentadas.
  • Conversar com o farmacêutico sobre uma formulação de desodorante ou antitranspirante ideal para a sua condição.

 

Tratamento 

 Existem vários tipos de tratamento para a bromidrose. Para determinar o melhor método, é preciso identificar qual é a causa e, a partir disso, avaliar as opções que se adequem melhor e respondam ao caso.

 

Uma das opções é por meio da cirurgia plástica. A técnica consiste na redução da secreção e do número de glândulas apócrinas por aspiração e/ou remoção direta. Antes de optar pela cirurgia plástica, deve-se descartar a existência de uma desordem orgânica subjacente tratável por meios menos invasivos.

 

O Doutor Kataoka trabalha com uma técnica inovadora de cirurgia plástica para bromidrose, sendo destaque no setor médico pelo seu trabalho. Veja mais: https://www.alexandrekataoka.com.br/cirurgias/procedimentos-masculinos/hiperidrose/