Como realizar mais de um procedimento cirúrgico ao mesmo tempo

 

No Brasil, temos cada vez mais pessoas com interesse em fazer cirurgia plástica em diversas partes do corpo na mesma operação; essa é uma maneira de economizar tempo de recuperação e também resolver mais de um problema de uma vez.

 

No entanto, a realização de cirurgias plásticas combinadas deve ser avaliada com muita cautela pelo cirurgião.

 

De fato, algumas combinações funcionam muito bem e possibilitam que o paciente faça mais de um procedimento por vez. Entretanto, para obter bons resultados de forma segura, é necessário fazer um planejamento detalhado e minucioso das cirurgias.

 

A vantagem de combinar procedimentos e técnicas diferentes no mesmo período é reduzir certos custos operatórios, como a taxa do centro cirúrgico, o internamento e o anestesista, além de otimizar o tempo de recuperação do pós-operatório, ao invés de fazer uma cirurgia e aguardar meses para realizar a próxima. Entretanto, para que deem certo, os procedimentos precisam ter alguma conexão, ser semelhantes ou ter finalidades iguais.

 

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) não estimula a realização de muitas cirurgias plásticas simultâneas sem respeitar os limites e critérios médicos. Além disso, afirma que não deve ultrapassar o limite de 40% de extensão corporal manipulada no mesmo procedimento.

 

Existem algumas cirurgias que “combinam” e são frequentemente procuradas, como a lipoaspiração e a abdominoplastia, implante de prótese de silicone mamário e a lipoaspiração, prótese de glúteo e lipoenxertia glútea. Esses procedimentos são feitos em regiões próximas, harmonizam-se e recebem orientações pós-operatórias parecidas.

 

Quando não fazer cirurgias plásticas combinadas

 

Existem, no entanto, cirurgias que, quando combinadas, dificultariam o posicionamento do paciente. Um bom exemplo disso é tentar combinar a gluteoplastia e cirurgias na parte frontal do corpo, tendo em vista que no pós-operatório é necessário evitar o peso do corpo sobre o local operado.

 

É imprescindível considerar as durações da cirurgia e do efeito da anestesia na hora de avaliar se é possível fazer cirurgias combinadas. O recomendado é que o tempo não seja superior a 4 horas, pois, quanto maior o tempo, mais sangue o paciente perderá e também maior será o período de recuperação.

 

Atenção!

 

Para realizar cirurgias combinadas, é preciso procurar um bom cirurgião plástico. Lembre-se de conferir se o nome do profissional consta no site da SBCP e converse abertamente com o seu médico sobre a possibilidade e os riscos que envolvem os procedimentos de seu interesse.