expectativa vs realidade na plástica

 

Realizar uma cirurgia plástica está cada vez mais comum e acessível para grande parte das pessoas, especialmente no Brasil, que já é um dos países em que mais se realiza cirurgias com fins estéticos.

 

Submeter-se a um procedimento desse tipo exige planejamento e preparação. É algo que deve ser encarado com seriedade, afinal não se trata de uma simples correção estética. Os riscos devem ser considerados e é importante ser realista quanto aos possíveis resultados.

 

Com o crescimento exponencial das redes sociais, também aumentou o desejo de se obter o corpo dos sonhos.

 

Quando esses pacientes vão ao consultório do cirurgião plástico, acabam se deparando com uma situação adversa, já que muitas vezes eles já chegam com imagens daquilo que eles querem como resultado, entretanto, os cirurgiões não podem garantir que o resultado do procedimento fique idêntico ao de outra pessoa, já que cada organismo possui uma harmonia física diferente, além de reagir de modos diferentes às situações.

 

É claro que o paciente pode levar imagens como referência, para que fique mais inteligível o que ele pretende, de forma a facilitar a compreensão do profissional.

A partir daí, ambos chegam juntos à melhor opção para o caso, analisando as possibilidades de forma sensata.

 

Ainda assim, há a possibilidade de algo acabar saindo diferente no pós-operatório.

 

Expectativa x Realidade

 

Há muitos casos em que o paciente tem uma expectativa exagerada quanto ao resultado, e isso pode se tornar um impedimento para seguir adiante com o procedimento.

 

A cirurgia plástica não é uma promessa de beleza, muito menos garantia de perfeição: ela é um ajuste em algo que está incomodando o paciente.

 

Em ocasiões como as mencionadas, cabe ao cirurgião orientar o paciente a respeito das reais possibilidades, de como as coisas funcionam, o que está e o que não está no seu controle. Assim, cabe ao profissional desaconselhar a cirurgia, se for o caso, ou a pessoa seguir a recomendação médica. Para isso, é essencial que o paciente se sinta à vontade com o cirurgião.

 

A decisão não deve ser tomada de imediato. É importante ter um tempo para pensar em resultados, complicações e cuidados pós-operatório. A cirurgia plástica não é um procedimento de emergência, salvo algumas raras exceções. Por isso, médicos recomendam que não haja pressa, para que tudo seja definido com consciência e certeza.

 

Há alguns pontos a serem considerados para evitar que haja esse distanciamento entre a expectativa e a realidade, de modo que o paciente se sinta mais satisfeito e realizado e, ao mesmo tempo, esteja alinhado com as possibilidades cirúrgicas:

 

Avalie as suas expectativas

 

Seja mais coerente sobre aquilo que pode ser executado: não espere que a cirurgia plástica faça uma mudança não compatível com o seu corpo.

 

Entenda também que cada pessoa tem um resultado único e que apenas é possível usar o outro como referência e parâmetro se ele for compatível com o seu perfil.

 

Escolha um profissional de confiança

 

O cirurgião plástico deve orientar, sanar todas as dúvidas possíveis, ser sincero quanto aos possíveis resultados e transmitir confiança para o paciente.

 

Afinal, quem fará o procedimento é o cirurgião, e ele deve estar certificado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.