atenção com as possíveis complicações de uma cirurgia plástica

 

As cirurgias plásticas estão cada vez mais comuns. A procura e o número de procedimentos realizados vêm crescendo a cada ano de forma substancial.

 

No entanto, algumas pessoas acabam se esquecendo que toda cirurgia, seja ela plástica ou não, oferece riscos, independente do porte do procedimento!

 

Isso ocorre porque podem surgir algumas complicações durante a cirurgia e no pós-operatório, como trombose, rompimento dos pontos e infecção, que geralmente acontecem em pessoas que possuem doenças crônicas, anemia ou que ingerem algum anticoagulante.

 

De modo geral, o número de óbitos provenientes de cirurgia plástica é extremamente pequeno: apenas cerca de 1% dos casos, mas mesmo assim deve-se ter muito cuidado e a máxima atenção possível para minimizar a possibilidade de complicações.

 

Pacientes com mais riscos

 

Como já mencionamos, algumas pessoas são mais propensas do que outras a ter complicações durante ou após cirurgias plásticas. Os casos mais comuns são:

 

 

  • Pacientes que possuem histórico de problemas com anestesias.
  • Pessoas que usam alguma medicação continuamente.
  • Pessoas muito sedentárias e com a saúde bastante prejudicada.
  • Idade muito avançada e com hipertensão.
  • Pacientes pós-bariátrica.
  • Pacientes que não seguem as orientações médicas no pós-operatório corretamente.
  • Pacientes que têm fatores de risco pré-operatórios, como tabagismo.

 

Para ajudar a reduzir esse número a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) lançou, em agosto de 2011, um manual informativo com orientações de segurança sobre o assunto.

 

Algumas complicações da cirurgia plástica

 

Acúmulo de líquidos

 

Essa complicação pode ser chamada de “seroma”.

 

O acúmulo de líquidos é percebido quando se identifica pele avermelhada, inchaço, dor e sensação de flutuação no local da cicatriz.

 

Uma ótima forma de evitar que ocorra essa complicação é utilizando faixas, curativos compressivos ou cintas durante a recuperação, além de repousar e usar um dreno para retirar o líquido em demasia.

 

Há situações em que é necessário que uma enfermeira remova o líquido por meio de uma seringa, facilitando assim a recuperação.

 

 

 

Infecção

 

Normalmente as infecções surgem ao redor da cicatriz, mas também podem aparecer internamente, causando inchaço, febre, pus e dor.

 

Além disso, em alguns casos de implante mamário há o risco de o organismo rejeitar as próteses, ocasionando em uma infecção, que deve ser tratada com o uso de medicamentos a serem indicados pelo cirurgião.

 

Rompimento de pontos

 

O rompimento de pontos ou grampos pode fazer com que haja a separação das bordas dos tecidos que foram unidos, o que aumenta o tempo de recuperação pós-operatório e o risco de se desenvolver uma infecção.

 

Isso pode acontecer quando o paciente faz movimentos muito bruscos ou em excesso durante a recuperação, não seguindo a indicação do cirurgião de repousar e poupar esforços.

 

Procure seguir à risca as ordens do seu cirurgião plástico e, no caso de algo fora do esperado, entre em contato com o profissional, para que ele possa avaliar a situação.