elevação de sobranccelhas

 

As sobrancelhas são uma parte importante do rosto. Elas dão harmonia ao olhar e à face como um todo. Fazem uma grande diferença na fisionomia das pessoas, podendo deixar seus rostos com ar mais pesado, desleixado, fechado ou até mesmo apagado e sem expressão.

 

Fisiologicamente, as sobrancelhas são um protetor natural dos olhos, que evitam a entrada de sujeiras, suor e outros elementos.

 

Considerando o aspecto estético, a sobrancelha compõe a moldura do rosto. Ela intensifica as expressões faciais, realça o olhar e até mesmo “levanta o rosto”, rejuvenescendo e valorizando a beleza de cada pessoa.

 

Entretanto, com o decorrer dos anos, as sobrancelhas tendem a cair, como parte do processo natural de envelhecimento da pele do rosto. Para solucionar essa situação e levantar o olhar, há a cirurgia plástica de lifting de sobrancelhas.

 

Suspensão superciliar

 

O objetivo dessa cirurgia é a elevação das sobrancelhas, já que elas tendem a se deslocar para baixo e para o centro da face, como resultado do efeito do tempo. A técnica utilizada suaviza os vincos na testa e ao redor dos olhos e melhora o aspecto das rugas verticais entre as sobrancelhas.

 

O procedimento é indicado para pacientes com idades entre 40 e 60 anos, o que não proíbe a realização em pessoas fora dessa faixa etária, desde que haja flacidez na testa ou que a sobrancelha esteja “caindo sobre os olhos”, o que afeta a capacidade de ver e a autoestima do paciente.

 

Como é feita a cirurgia

 

Em grande parte dos procedimentos, é usada a anestesia local com sedação, mas há alguns casos específicos que necessitam que se use a anestesia geral.

 

A cirurgia em si varia de acordo com a técnica utilizada. Pode ser feita por meio de incisões, que ficam escondidas no couro cabeludo, rentes à linha de implantação dos cabelos, camufladas em sulcos já existentes na região frontal, utilizando o acesso palpebral superior, rentes ao supercílio.

 

Durante o procedimento, podem ser realizados ressecções e reposicionamentos musculares e da pele, fixação com fios (absorvíveis ou não), parafusos cirúrgicos e outros dispositivos. Diferentes tipos de trações teciduais podem ser realizados, com o intuito de suavizar rugas frontais/glabelares ou reposicionar supercílios.

 

Há a possibilidade de se utilizar um aparelho de vídeo. Quando ele não é empregado, são realizadas incisões nas têmporas, no couro cabeludo ou nas dobras naturais da pálpebra superior.

 

Outra técnica disponível é por meio de uma incisão maior, de orelha a orelha, que geralmente fica escondida no couro cabeludo. Como consequência, o tempo de recuperação é maior. No entanto, esse tipo não é recomendado para pacientes com calvície, já que não haverá meios de esconder a cicatriz com o cabelo.

 

Apenas o cirurgião plástico poderá definir qual técnica é a melhor para cada situação.

 

Caso esteja interessado neste procedimento e deseje saber mais sobre o assunto, entre em contato com a equipe do Dr. Alexandre Kataoka.