Procedimento que diminui as mamas

 

A cirurgia realizada com o intuito de diminuir o tamanho e o volume das mamas, também conhecida como mamoplastia redutora, é realizada quando as mamas possuem tamanho e peso acima das características anatômicas do tórax.

 

As mulheres que costumam recorrer ao procedimento queixam-se de dores persistentes nas costas e pescoço, desconforto estético que pode envolver caimento excessivo ou volume demasiado, influenciando na autoestima e até propiciando desvios na coluna.

 

No que diz respeito ao tamanho, as mamas podem ser definidas em quatro graus: pequena, moderada, grande e gigantomastia. Sobre o caimento, podem ser classificadas em quatro níveis: sendo o primeiro “normal” e o quarto, mais grave, isto é, quando a posição do mamilo no contorno mamário é mais inferior e abaixo da prega do sulco mamário.

 

Quem pode realizar a Cirurgia de Redução?

 

O procedimento costuma ser feito em mulheres com pelo menos 18 anos, pois espera-se que a mama já esteja completamente desenvolvida. Assim, não haverá necessidade de a paciente se submeter novamente ao procedimento, quando do aumento das mamas pelo fim de seu desenvolvimento. No entanto, há exceções: dão-se quando há algum prejuízo funcional na mulher mais nova, como, dor nas costas ou desvios da postura, causado por desenvolvimento muito acelerado da mama.

 

A indicação da cirurgia também se aplica aos casos de gigantomastia, que pode causar envergadura da coluna por causa do seu peso. Nesses casos, chega-se a se extrair mais de um quilo de tecido mamário de cada mama no procedimento.

 

Outra indicação da cirurgia é quando as mulheres com mamas avantajadas passam a envergar a coluna para disfarçá-las.

 

Como é feito o procedimento?

 

Antes de qualquer intervenção, o médico solicita a realização de exames, para verificar a saúde e as condições físicas da paciente.

 

Com esses dados em mãos, o cirurgião ajusta as doses dos medicamentos necessários. Ele também recomenda evitar remédios como aspirina e anti-inflamatórios, além de remédios naturais, pois esses podem aumentar o sangramento, e a suspensão do fumo cerca de um mês antes da data estipulada.

 

A cirurgia é feita com anestesia geral e dura cerca de 2 horas. Há muitas técnicas disponíveis para o procedimento, no entanto, geralmente realizam-se cortes para que seja feita a retirada de tecido mamário, o excesso de gordura e a pele necessária.

 

Depois, é feito o reposicionamento da mama e a remodelagem para sua forma natural, sendo diminuído o tamanho da aréola.

 

São dados os pontos ou usa-se a cola cirúrgica para reduzir as chances de cicatrizes.

 

A extensão e o formato da cicatriz variam de caso a caso: quanto maior a mama, maior será a cicatriz.

 

Os formatos de cicatriz também variam: de uma discreta cicatriz periareolar, em “L”, em “I” e até uma maior, em formato de “T” invertido, que se inicia ao redor da aréola e se complementa com uma linha vertical e outra horizontal.

 

Veja mais sobre a mamoplastia redutora aqui.